Welcome to NYC! A história de como vim parar aqui.

Ao contrário da maioria das pessoas que saem de seus países para viver a experiência de estudar nos Estados Unidos eu nunca tive interesse por cultura americana e até ter pisado em solo americano não sabia falar praticamente nada em inglês. Mas aqui estou eu em minha segunda visita a NYC, morando há 6 meses em Manhattan e apaixonada pela ilha, por isso quero compartilhar com vocês tudo o que essa cidade tem me dado de bom e vou começar falando sobre a minha decisão de mudar de pais.

cropped-7f0fabab-9537-415d-b173-70578ac09b64
Central Park, depois da primeira neve desse inverno!

Troquei uma ilha por outra!

A pesar de ter nascido e ter morado a maior parte da minha vida em Vila Velha – ES, toda a minha vida social sempre esteve na ilha de Vitória – ES, incluindo meu trabalho, meus amigos, os lugares que eu gostava de frequentar e meu apartamento nos meus 2 últimos anos no Brasil, antes de voltar para NY. (Sim! Voltar, pois já estive aqui uma vez, mas conto sobre isso mais abaixo)

Vitória é uma das capitais do Sudeste do Brasil, mas tem aquela cara de cidade pequena, onde todos se conhecem. Temos, inclusive uma expressão que diz que Vitória tem 3 pessoas: Eu, Você e alguém que que nós conhecemos.

Nós também temos um complexo de cidades assim como New York City, que chamamos de Grande Vitória, formado por 4 cidades.

Minha casa sempre foi meu lugar favorito no mundo, justamente pelo fato de não ser uma megalópole, mas ser uma capital com tudo que é preciso, além de ser exuberante.

5D1D81CB-261E-4DE4-9E8F-16BC4CFC60FC
A Ilha de Vitória vista de Vila Velha

Como vim parar em NYC?

Só para ficar claro, eu não tenho intenção de me estabelecer em NY para sempre, vim para cá para estudar! Mas tenho um longo caminho até terminar o que tenho em mente.

Minha primeira vez em NYC foi há mais de 3 anos atrás, em 2014, quando cheguei sem falar praticamente nada em inglês, para estudar por 3 meses. Viemos eu e uma amiga, que sabia um pouco mais de inglês que eu e por isso passamos juntas na imigração (não sei como faria sem ela rsrs). Quando chegamos estávamos encantadas, tudo era muito diferente do que eu ja tinha visto pessoalmente, mas reconheci muitos cenários de filmes, e o que mais me encantou na cidade foi o fato de que, a pesar de não falar inglês, eu conseguia me virar sozinha, ir a todos os lugares que queria, pegar metro, pedir comida, etc. Sim! essa cidade e sensacional!

Minna amiga Yrelle e Eu em Nosa primers vez em NY
Yrelle e Eu Ps.: esse bar e Mara, mas depois falo sobre ele

Passados os 3 meses que eu tinha planejado o bichinho que te pica quando você conhece NYC me picou. Eu tinha que ficar mais tempo, tinha passado muito rápido e eu precisava de mais, foi ai que decidi que eu tinha que ficar pelo menos ate passar o natal e o ano novo. Eu queria ver como seriam essas festas aqui.

Fiquei ate metade de Janeiro de 2015, e então voltei pra minha vida em Vitória, voltei pro meu trabalho, pra minha família, pros meus amigos. Eu estava feliz de voltar pra casa, mas sabia que o bichinho que me picou não me deixaria em paz assim. Uma hora ele iria me cutucar novamente. E assim foi!

Dois anos depois, lá estava eu pensando em NY de novo, sabendo que o que tinha aprendido de inglês em 5 meses tinha sido muito pouco.

Eu tinha um bom trabalho, ótimos amigos, uma casa nova (tinha saido da casa dos meus pais), mas eu precisava de mais alguma coisa, que me tirasse da minha zona de conforto. Eu precisava de mais e foi ai que a ideia de voltar para NY começou a me rondar novamente.

Foram meses pensando sobre o assunto, achando uma loucura largar tudo pra tentar me adaptar em outro país onde nem a língua eu falo direito. Essa ideia me martelou por meses até eu decidir dividi-la com alguns amigos para ver a reação deles. E por incrível que pareça (ou não) eles já tinha percebido essa vontade em mim, antes mesmo de eu dizer qualquer coisa e me apoiaram, dizendo que eu deveria seguir meus sonhos. ERa só o que eu precisava para decidir.

Eu vou voltar pra NY!

Como eu planejei minha viagem?

Da primeira vez que estive em NY eu tentei, com ajuda da minha irmã (que mora em Manhattan) fazer todo o planejamento da viajem e do visto sem ajuda de uma agência, mas como meu inglês era zero, claro que não consegui. Não digo que não seja possível fazer seu planejamento sozinha, é claro que é possível, mas demoraria muito tempo e desgaste que pra mim não valeu a pena, por isso optei por procurar uma agência para ver quais seriam minhas opções.

Optei pela IE Intercambios, so pelo fato do escritório deles ser no andar a baixo da empresa onde eu trabalhava, mas me surpreendi com o atendimento deles. Eles fizeram tudo parecer tão fácil, descomplicado, e com um valor praticamente igual aos valore das minhas pesquisas, porém eu precisaria adicionar a taxa de consultoria deles, que digamos de passagem não e nada absurda. Eu recomendo essa agência a todos que conheço. Eles realmente foram ótimos pra mim.

Bom, minha primeira vez foi bem mais planejada (considerando a ansiedade de uma pisciana). Eu procurei uma agência, organizei meu pacote e todos os tramites para tirar meu visto de estudante, fiz um acordo na minha empresa onde eu ficaria fora por 3 meses e voltaria para Brasil antes do nosso próximo grande evento, organizei minha finanças e tinha decido até quantos dólares eu poderia gastar por semana, tudo organizadinho em uma planilha do excel.

Essa parte é super importante. Tem vários site que te ajudam com a média dos gastos diários e ter em mente que você precisa ter dinheiro suficiente pra pagar escola, hospedagem (no meu caso não tinha esse item, pois morei com minha irmã), alimentação, transporte dentro da cidade, passeios, um extra pra presentinho e compras e se você vier no inverno vai precisar de grana pra roupas e sapatos de neve, é essencial. Então faça seu planejamento e coloque tudo na ponta do lápis ou como eu (a loka do Excel) fiz na planilha de orçamento.

Bom da segunda vez, a expertona aqui achando que já falava inglês bem o suficiente para me organizar sozinha, pediu demissão do trabalho (inclusive a conversa com meu Boss foi uma das mais difíceis, principalmente pelo fato de que ele foi a pessoa que mais me incentivou mesmo deixando claro que eu faria muito falta e que ele estava feliz por mim mas triste pela empresa estar me perdendo, pra mim foi uma conversa gratificante e muito emocionada. Chorei litros!), pegou a grana da rescisão e começou tentar fazer o processo. Mais um erro, que me fez perder meses!

É muita burocracia e muito detalhe que eu não fazia ideia, mas continuei tentando, entrando em vários sites (do consulado, blogs, das escolas, etc) até que me dei conta de que 3 meses tinham se passado e eu ainda estava no Brasil, desempregada, gastando meu dinheiro da viagem e dando trabalho pra minha mãe.

Sem consegui resolver nada cheguei a pensar em outros destinos que nao precisavam de visto. Foi ai que decidi procurar a IE Intercâmbios novamente e eles foram minha salvação, resolveram tudo sobre o meu pacote, me explicaram que porque meu visto tinha sido concedido para uma escola específica eu precisaria voltar para essa mesma escola e com 1 semana meu curso estava reservado e minha passagem comprada. Ufa! Agora eu realmente voltaria pra NY.

Bom, Moral da historia, se voce nunca fez um intercâmbio e teve que lidar diretamente com as escolas e com o processo de visto ou se o seu inglês não e tão bom, eu recomendo que você procure uma agência. Faça uma pesquisa, veja a reputação da agência, procure saber se algum conhecido ja utilizou os serviços dessa agência e vá até lá para fazer um orçamento. Isso vai te poupar tempo e estresse por uma taxa de consultoria que na maioria das vezes vai valer a pena.

Se você quiser uma dica, eu recomendo a IE Intercâmbios (www.ie.com.br) e se voce for de Vitoria – ES procure o Ramon ou o Guilherme.

C45EA375-ED1F-4085-9BAB-507582BCD7E3

 

Pra finalizar esse post gostaria de deixar aqui meu incentivo. Se você tem um sonho de estudar fora, não tenha medo.

Tenho também algumas dicas: escolha uma cidade grande, a pesar de geralmente serem mais caras, também são mais fáceis de se virar quando não se fala inglês muito bem, pois eles estão preparados para receber turista; se você tem família em alguma cidade do país que você quer ir, escolha essa cidade, pois ter uma pessoa que está acostumada com o ritmo do local te ajudando e dando dicas faz toda a diferença; pense bem em que época do ano você quer ir, pois isso interfere no preço das passagens, na arrumação da mala e compras, nos lugares que você quer visitar e na sua resistência a baixas temperaturas.

No mais, seja feliz e se jogue o mundo!

Espero que minha história e minhas experiências possam te ajudar!

Beijos

Kamila Mairink!

2 comentários Adicione o seu

  1. Aline Maria Dias de Almeida disse:

    Caramba Kamila,
    Procurando sobre intercâmbio achei seu blog que coincidência!
    Não sei se lembre da mim, fizemos nutrição na UVV. Estou neste mesmo dilema. Fiz intercâmbio para Califórnia e sinceramente desde que voltei só penso em voltar e a cada dia isso fica mais latente. Vendo sua história me deu muito estimulo, porque ficamos presos a tantas coisas, meu trabalho, minha família mas e vc? O que você quer? Você está feliz?
    Nossa me deu super força.
    Um beijo.

    Curtir

    1. Ei Aline, Claro que lembro. Nossa que legal saber noticias sobre voce. Na verdade nao tenho muita pretensao com esse blog, to fazendo mais como um registro pra mim.Mas fico muito feliz de ter te incentivado. Vir pra ca foi a melhor decisao que tomei. Eu estou relamente apaixonada por NY, mesmo com todas as dificuldades.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s